[+18] Bom dia, Gisele Souza

Tempo de leitura: 4 minutos

[+18] Bom dia, Gisele Souza

Nota editorial: acreditamos que nudez, sensualidade, libido e multiplicidade são discussões essenciais de nosso tempo. E que há espaço para tratar disso sem objetificar e ofender, mas sim valorizando toda a riqueza do masculino e do feminino. Para entender porque publicamos ensaios de homens e mulheres e saber mais sobre o que aspiramos para a série “Bom dia”, leia o que escrevemos cá. E se tem um tentativa que deseja publicar, fale conosco pelo contato@prazeresocultos.com.br .

* * *

Lembro de permanecer olhando as fotos lindas que a Drika tirava das mulheres comuns, aquelas que vemos todos os dias andando no metrô, no supermercado e mostrando uma vez que essa formosura do cotidiano é linda, uma vez que todos temos uma formosura só esperando o olhar e o momento visível para ser respeitado. Mulheres com corpos únicos e isso me enchia o coração com um visível conforto, pois via ali que o generalidade é belo. 

E quando ela me convidou foi um mix de sensações, no primícias foi um susto de me expor, um susto de que não seria verosímil encontrar formosura em mim, que não conseguiria posar para ser fotografada, finalmente, eu nunca havia sido fotografada por ninguém, demorei meses para admitir a teoria, finalmente eu nunca me imaginei uma vez que uma pessoa sensual, nunca imaginei que a pequena nerd, cozinheira e que vive de camiseta e calça jeans poderia ser vista uma vez que um mulher sensual.

Aí me lembrei das fotos que sempre amava quando surgiam na minha timeline, aquelas mulheres super empoderadas, amando cada centímetro dos seus corpos, mesmo aqueles que aprendemos a odiar por terem marcas da vida uma vez que estrias e celulites, e pensei: EI! Eu também sou assim, e olha esse corpo, ele que me ajuda a levantar da leito todos os dias se isso não é lindo eu não sei o que é! 

Portanto, juntei essa teoria, essa vontade de amar quem eu sou e de registrar esse momento, e aceitei  o invitação, juntei algumas coisas na mochila e fui, e a partir desse momento, eu comecei a pensar no meu corpo e olhar e apreciar cada curva, cada marquinha, cada pedacinho e perceber cada pormenor que antes corria para esconder, ou nem pensar em olhar no espelho.

Fazer o tentativa me despertou um tanto que nunca havia notado, uma formosura única, só minha, e me deixou mais próxima de mim mesma, nunca me senti tão linda, tão livre e tão eu mesma!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


publicado em 07 de Maio de 2018, 10:18





Fonte: papodehomem.com.br

68 homens que nos inspiraram em 2017

pesquisa mostra que 7,1% dos meninos falam mal de si mesmos online