Porquê aprazer as feministas

Como agradar as feministas – PapodeHomem
Tempo de leitura: 3 minutos

Porquê aprazer as feministas

Se a Fulana me dá os parabéns por me manifestar publicamente em prol do feminismo (“todos os homens deveriam ser feministas!”) mas a Beltrana me joga pedra pelo mesmo motivo (“calaboca e sai da luta que não te pertence, piroco feministo!”) o que fazer?

* * *

Uma pergunta que muitos homens me fazem:

“Quero concordar o feminismo. mas quando faço X, as feministas me enchem o saco. Quando faço o oposto, Y, as feministas também me enchem o saco. Não tem porquê ajustar? O que eu preciso fazer?”

Para início de conversa, eu recomendaria aproveitar esse pequeno gostinho de porquê é a vida cotidiana de uma mulher (se “dá” é fácil, se não “dá”, é bitch; se fala basta, é histérica, se fala ordinário, é submissa, etc) para se dar conta dos nossos privilégios masculinos e exercitar um pouco de empatia com a situação das mulheres.

Mas a resposta é a seguinte:

Não existe esse “O Feminismo”, assim, solene, em letras maiúsculas. Existem diversos feminismos, em uniforme diálogo e confronto entre si, com diferentes concepções de porquê deve ser a luta.

Por exemplo, algumas mulheres feministas acham que todos os homens deveriam ser feministas.

Já outras mulheres feministas acham que os homens, no supremo, podem ser pró-feministas e olhe lá.

E algumas outras mulheres feministas acham que homens não podem nem mesmo concordar o feminismo, porque o feminismo não diz saudação aos homens: homens teriam que lutar contra o machismo e olhe lá.

E mais outras mulheres feministas acham que lutar contra o machismo, por definição, já é ser (pró-)feminista.

E aí? O que fazer? Quem está certa?

* * *

Nunca vai ter um consenso. O feminismo não tem alto-comando.

Nenhum varão nunca vai receber o troféu “toma biscoito” oferecido unanimemente por todas as feministas para o Feministo do Ano.

Nós, homens, temos que concordar o feminismo porque sabemos porquê é dura a vida das mulheres. (Mas não só por isso.)

Nós, homens, temos que concordar o feminismo porque temos mãe, mana, amigas. (Mas não só por isso.)

Fundamentalmente, nós, homens, temos que concordar o feminismo porque nossa consciência e nosso pensamento crítico não nos permitiriam observar o mundo de forma objetiva e não concordar o feminismo.

Mas, se queremos concordar o feminismo para “as feministas pararem de encher nosso saco”, portanto é melhor nem começarmos.

Sempre vai ter alguma feminista enchendo o nosso saco.

Aliás, provavelmente, com razão.

Só que isso não é justificativa para não concordar o feminismo.

* * *

Outrofobia: textos militantes, antogolia dos melhores textos de Alex Castro publicados cá no PapodeHomem.

Esse textículo é uma soma ao meu Feminismo para homens: um curso rápido, que também faz secção do meu livro Outrofobia: textos militantes. Se você tem interesse em saber porquê concordar o feminismo e lutar contra o machismo, sugiro que leia e reflita.

Mais importante, porém, é ler o que as próprias mulheres estão escrevendo sobre feminismo.

O PapodeHomem já publicou alguns textos importantes, porquê a Paula Abreu escrevendo pela primeira vez sobre seu estupro, a Heloísa de Paula falando sobre “homens bonzinhos”, a Jeanne Callegari explicando o que é um varão e o que é uma mulher, e a Cláudia Regina, no texto mais lido do portal em todos os tempos, revelando porquê se sente uma mulher.

Ou por outra, existem sites excelentes que você pode e deve seguir, mantidos por escritoras, pensadoras, militantes e estudiosas que recomendo, porquê Lola Aronovich, Aline Valek, Cynthia Semiramis, Mary W., Marília Moschkovich, e diversas outras, além de blogueiras negras porquê Jarid Arraes e Djamila Ribeiro. 

Destaque peculiar para sites sobre femininismo interseccional e transfeminismo, tópicos explosivos, importantes e negligenciados do feminismo de hoje, mantidos por pessoas cuja militância admiro e que me ensinam muito sobre o tema todos os dias, porquê Hailey Kaas, Daniela Andrade & Juno Cremonini.

Por término, uma magnífico porta de ingresso são sites coletivos, porquê o Geledés, o Blogueiras Negras e o Blogueiras Feministas (onde também já publiquei alguns textos).

Boas leituras e fortuna.

* * *

assine a newsletter do alex castro

 


publicado em 10 de Dezembro de 2015, 13:57





Fonte: papodehomem.com.br

Tenho dúvidas sobre a minha sexualidade

Tenho dúvidas sobre a minha sexualidade

Cuida do meu que eu cuido do seu? Como compartilhar o cuidado com o sexo com mais parceria – PapodeHomem

Cuida do meu que eu cuido do seu? Porquê compartilhar o desvelo com o sexo com mais parceria