Porquê mourejar com pais controladores?

Como lidar com pais controladores?
Tempo de leitura: 3 minutos

Porquê mourejar com pais controladores?

Sejam muito vindos à segunda edição do Mentoria PdH! Semana passada demos início a essa série e não poderíamos estar mais felizes com o resultado. Ao final do primeiro dia já tinha mais de 70 comentários de pessoas dispostas a ajudar o nosso leitor Carlos com suas experiências de vida.

Simplesmente fantástico vermos tanta cooperação, ainda mais se tratando de um site com caixa de comentários oportunidade e sem moderação prévia. Sinto um orgulho enorme de ver isso acontecendo. 

Qual o propósito da poste Mentoria PdH?

Para quem chegou agora e ainda não entendeu do que se trata, a teoria é muito simples. Toda semana, escolhemos uma pergunta de um leitor que vai ser respondida pela própria comunidade. Se quiser informações mais detalhadas, veja o primeiro post, escrito pelo Guilherme Valadares.

Há um processo de duas mãos que acontece em situações assim.

Um, o mais óbvio, é reunir uma comunidade enorme uma vez que a do PdH e vê-la oferecer experiências e pontos de vista muito diversos sobre questões que muitas vezes não conseguimos acessar na nossa rede de amigos e familiares.

O outro é: quando ajudamos uma pessoa, encontramos uma sabedoria que às vezes nem sabemos que temos. Se estamos afundados em nossos problemas pode ser difícil perceber, mas ajudar o outro é também ajudar a si mesmo.

Ao ajudar o outro, notamos que temos força, que temos alguma coisa a oferecer. Por esse meio conseguimos transpor de uma posição de passividade e podemos agir. Sentimos de inesperado uma satisfação enorme pelo ato em si, nos vemos capazes. E, se podemos fazer isso pelo outro, por que não fazer por nós mesmos?

O clichê do “juntos somos mais fortes” não é tão histrião assim.

Aliás, oferecer ajuda é a melhor forma de verdadeiramente conectar-se com alguém. Assim, estamos cultivando relações que vão além do habitual quid pro quo. Nos tornamos parceiros de jornada.

Semana passada pudemos ver isso operando. Cada vez que alguém abriu um pouco sobre suas experiências e ofereceu sua sabedoria, ficamos conhecendo um pouco mais sobre nós, uma vez que indivíduos e uma vez que comunidade. A tendência é isso ir se aprofundando.

E, assim, vamos nos percebendo menos solitários e confusos.

Porquê responder e ajudar no Mentoria PdH:

Cá vão algumas regras, pra gente ver tudo funcionando bonito mais uma vez. 

  • comentem em primeira pessoa, contando da sua experiência direta com o tema — e não só dizendo o que a pessoa tem que fazer 
  • não ridicularizem, humilhem ou façam piada com o outro
  • sejam específicos ao narrar do que funcionou ou não para vocês
  • estamos cultivando relações de parceria de entendimento com a perspectiva proposta cá, que vai além das amizades usuais (vale a leitura)
  • comentários grosseiros, rudes, agressivos ou que fujam do foco serão deletados.

* * *

Com tudo desempenado, vamos à pergunta dessa semana:

“Oi, pessoal.

Meu nome é Jonathan, tenho 18 anos. Nesse momento estou começando a faculdade de design e estou em procura do meu primeiro serviço.

O problema é que meus pais não querem deixar que eu trabalhe, dizem que agora é hora de focar nos estudos. Quero ter meu quantia, mesmo que pouco, pra não ter que permanecer pedindo tudo e tendo que dar satisfação. Hoje, pra tudo eu preciso pedir, até quando vou transpor com alguma pequena e isso me irrita. Eles querem mandar em tudo que eu faço. Controlam meus horários, com quem eu ando e se eu apareço ficando com alguém, já querem saber quem é. Quando recebo amigos em moradia, minha mãe fica ouvindo as conversas e depois usa o que eles dizem pra mandar ainda mais na minha vida.

O clima em moradia fica sempre um inferno por justificação disso. Minha mãe grita comigo quando eu não quero narrar alguma coisa, meu pai ignora as brigas mas eu sei que ele apoia tudo o que ela faz. Tudo eles criticam, zero nunca tá bom.

Eu não aguento mais!

Tem hora que me dá vontade de fugir. Se eu tivesse um serviço, sairia de moradia o mais rápido verosímil.

Mas a verdade é que não tenho serviço e não consigo me sustentar sozinho.

Portanto, uma vez que eu lido com os meus pais? Tem alguma coisa que eu possa fazer pra eles me respeitarem? Dá pra melhorar o clima em moradia ou desisto e toco o foda-se?

Jonathan.”

* * *

Mentoria PdH é uma poste por meio da qual vamos ajudar coletivamente outras pessoas da comunidade, compartilhando relatos de nossas vivências, em primeira pessoa.

Você pode mandar sua pergunta para posts@papodehomem.com.br . O ponto do email deve ter o seguinte formato: “PERGUNTA | Mentoria PdH” — assim conseguimos filtrar e encontrar as mensagens.


publicado em 09 de Abril de 2018, 00:05





Fonte: papodehomem.com.br

Conteúdo Sensível
Clicar para ver artigo

[+18] Bom dia, Tamires Rocha

13 documentários fascinantes sobre a relação dos homens com o trabalho