Coronavírus pode reduzir taxa de nascimentos no mundo, sugere estudo

gravidez
Tempo de leitura: < 1 minuto

Coronavírus pode reduzir taxa de nascimentos no mundo, sugere estudo

Com boa secção da população mundial confinada a maior secção do tempo em morada, uma pergunta que surgiu entre especialistas foi: a pandemia de novo coronavírus estimularia um número maior de gravidezes?

Leia também: os cuidados que devem ser tomados na gravidez durante a pandemia

Estudo publicado nesta quinta-feira pela Universidade de Florença, na Itália, sugere que não. Na verdade, segundo a pesquisa, exatamente o oposto deve ocorrer, com a taxa de natalidade caindo devido à preocupação com a covid-19. Os resultados foram publicados no Journal of Psychosomatic Obstetrics and Gynecology.

Para chegar a essa epílogo, os pesquisadores entrevistaram 1.482 moradores da Itália e perguntaram se eles planejavam conceber uma gaiato durante o confinamento. Mais de 80% disseram que não.

Temor da doença e da economia

Aliás, dos 268 participantes que desejavam uma gravidez antes do início da pandemia, quase 40% disseram que abandonaram os planos de aumentar a família. As principais razões para diferir a gravidez foram a preocupação com a situação econômica e possíveis riscos para a gaiato trazidos pela covid-19.

Para os 60% dos casais que decidiram manter os planos de gravidez, o temor de não ser mais provável conceber no porvir, por questões relacionadas à idade, foi o que mais pesou na decisão.

Segundo os autores, os resultados sugerem que o confinamento não deve produzir um novo baby boom, uma vez que se aventou. Os resultados sugerem o contrário. Porém, eles ressaltam que o estudo é restringido à Itália e que “ainda não se sabe se haverá uma modificação sumarento na taxa de nascimentos no porvir próximo”.



Fonte: blogs.correiobraziliense.com.br

Por que a bicuriosidade masculina justificação tanto vanglória?

Panelaço contra Bolsonaro interrompe pornô americano gravado no Rio