David Beckham não se importa que as pessoas tenham problema com ele beijando seus filhos

David Beckham não se importa que as pessoas tenham problema com ele beijando seus filhos – PapodeHomem
Tempo de leitura: 2 minutos

David Beckham não se importa que as pessoas tenham problema com ele beijando seus filhos

“Você beija e abraça deus filhos, notório?”, perguntou o entrevistador.

David Beckham responde:

“Simples! Todo dia e em público. Na verdade, eu fui criticado por beijar minha filha nos lábios um dia desses. Eu ósculo todos os meus filhos nos lábios. Talvez o Brooklyn não. Ele tem 18 anos e pode descobrir tudo isso meio estranho.

Mas eu sou muito afetivo com as minhas crianças, a Victoria e eu queremos mostrar pra eles paixão. E nós os protegemos, olhamos por eles e somos muito carinhosos com eles”.

A conversa aconteceu em uma live no Facebook do ex-jogador inglês quando ele estava na Tailândia e foi entrevistado por um apresentador de talkshow sítio, Woody Milintachinda:

Lá pros 16 minutos do vídeo, depois de falar sobre sua curso pós-futebol, Milintachinda pergunta a Beckham sobre sua família e as diferenças em gerar filhos homens e filhas mulheres e o jogador traz o tópico em que, no ultimo dias dos pais, ele publicou uma foto dando um ósculo em sua filha, Harper.

Disso, nos comentários da própria publicação, uma enxurrada de críticas ao modo muito próximo de provar carinho, contrastando com outra tonelada de relatos e mensagens de espeque:


Uma cultura em que homens não podem se expressar com carinho

Homens comumente são criados para serem corajosos e fortes, dominantes e ambiciosos. Duros na queda. O oposto desses requisitos está justamente em uma postura mais maleável e carinhosa, um jeito mais atencioso de mourejar com as coisas.

Porquê abraçar e beijar seus filhos ao invés de instaurar em moradia uma rotina de temor travestido de reverência e intervalo. 

No ano pretérito, escutamos mais de 10.000 homens por todo o Brasil, em uma pesquisa online, mapeando seus obstáculos. Dessa conversa em profundidade, ficou fácil de perceber a vontade dos homens de serem mais afetuoso em suas relações:

66.5% deles não falam com seus melhores amigos sobre medos e sentimentos profundos;

54% querem ter mais tempo pra se destinar aos hobbies e prazeres da vida, sem serem julgados porquê frouxos ou pouco ambiciosos;

45.5% gostariam de se expressar de modo menos duro ou invasivo, mas não sabem porquê.

80% dos homens lidam com alexitimia, uma exigência expressa pela dificuldade em interpretar e expressar os próprios sentimentos e emoções.

Nesse mar de confusão, é muito importante e significativo ter um rostro que não deixa de ser referência em muitos âmbitos masculinos se convencionar nessa questão de porquê mourejar com o próprio carinho e a facilidade que pode ser para os homens se demonstrarem assim, mais calorosos, menos durões.


publicado em 06 de Julho de 2017, 00:00





Fonte: papodehomem.com.br

Eduardo e Roberto: “donos de morada” e cuidadores dos filhos

Um treino para ampliar a sensibilidade e o repertório na vida sexual