Me sinto mal por minhas parceiras terem aproveitado mais a vida que eu |Mentoria #59

Me sinto mal por minhas parceiras terem aproveitado mais a vida que eu |Mentoria #59 – PapodeHomem
Tempo de leitura: 4 minutos

Me sinto mal por minhas parceiras terem aproveitado mais a vida que eu |Mentoria #59

“Olá, me chamo Lucas e tenho 24 anos. Sempre fui um face muito quieto e rendeiro na minha mocidade, a ponto de agonia quando saía pra lugares com muita gente. Acho que era o terror do ignoto, não sei. E isso fez com que eu não aproveitasse recta minha vida.

Até hoje tive unicamente dois relacionamentos sérios (a ex, e a atual). Comecei a namorar minha ex quando eu tinha 20 anos, e foi justamente com ela quem tive a minha primeira transa. Ela tinha na estação 25 anos e uma filha de 4 anos, ou seja, muito mais experiente do que eu. Nós ficamos juntos por 3 anos.

Hoje estou namorando uma guria de 19 anos, que assim porquê eu, teve unicamente um relacionamento sério antes de mim. O dela parece que durou unicamente 2 meses. E hoje nós estamos juntos a 7 meses.

O que acontece, tenho um grande defeito em permanecer remoendo o pretérito das pessoas com quem me relaciono por elas terem aproveitado muito mais suas vidas que eu aproveitei a minha.

Minha ex, antes de namorar comigo, teve vários relacionamentos sérios e, fora os sérios, a gente sabe que sempre têm aqueles casuais, de uma noite ou várias.

Isso na estação me fazia um mal danado, por permanecer criando pensamentos negativos na minha cabeça. Por permanecer tipo: “Poxa, ela viveu isso tudo e eu não, ela já transou com tantas pessoas diferentes e eu não”. Mas não foi nascente o motivo do término. 

Foto: Bailey Torres

Com a atual a mesma coisa. Eu sei que ela tinha os rolos dela quando solteira, que tinha os ficantes e essas coisas, mas eu fico remoendo isso as vezes. Até em questão de quando ela ia pra festas, de usar algumas drogas (que hoje ela não usa mais), fico pensando o porquê de eu não ter aproveitado minha vida porquê ela fez. 

Eu fico com isso na cabeça, de permanecer me comparando com a vida dos outros. E eu sei que todo mundo tem uma história, e eu reverência (ou quero respeitar e não consigo). 

O que quero expor com isso tudo é o seguinte: me sinto mal por não ter tido durante minha vida uma grande quantidade de parceiras (tive 6, com 4 delas foi unicamente uma transa, as outras 2 são os relacionamentos rsrs), de não ter virado noites em festas, de não ter veterano drogas (não que eu ache isso bonito ou correto) e etc.

Obs.: Apesar de ter perdido minha virgindade com a primeira namorada, eu tive outras transas com mulheres diferentes (durante e depois dela. Não que eu tenha traído, é que durante os 3 anos nós nos separamos algumas vezes), até debutar com a atual. Portanto aproveitei um pouco também, mas com certeza foi muito menos do que elas.

Gostaria de controlar meus pensamentos em relação ao pretérito da minha namorada, para que eu não fique com ciúmes ou até mesmo inveja, e isso venha a atrapalhar nosso relacionamento (que é incrível).

Alguém já passou por isso e pode inculcar?”

Porquê responder e ajudar no Mentoria PdH

(leia para evitar ter seu observação extinto):

  • comentem sempre em primeira pessoa, contando da sua experiência direta com o tema — e não só dizendo o que a pessoa tem que fazer, porquê um professor distante da situação
  • não ridicularizem, humilhem ou façam piada com o outro
  • sejam específicos ao racontar do que funcionou ou não para vocês
  • estamos cultivando relações de parceria de tratado com a perspectiva proposta cá, que vai além das amizades usuais (vale a leitura desse link)
  • comentários grosseiros, rudes, agressivos ou que fujam do foco, serão deletados

Porquê enviar minha pergunta?

Você pode mandar sua pergunta para posts@papodehomem.com.br .

O tema do email deve ter o seguinte formato: “PERGUNTA | Mentoria PdH” — assim conseguimos filtrar e encontrar as mensagens com facilidade.

Posso fazer perguntas simples e práticas, na traço “Porquê planejo minha mudança de cidade sem quebrar? Porquê organizar melhor o tempo pra cuidar de meu fruto? Porquê mourejar com o diagnóstico de uma doença grave?” ?

Queremos tratar também de dificuldades práticas enfrentadas por nós no dia-a-dia.

Portanto, quem tiver questões nessa traço, envie pra nós. Assim vamos construindo um mosaico mais vasto de assuntos com a Mentoria.

Essa Mentoria é incrível. Onde encontro as perguntas anteriores?

Basta entrar na coleção Mentoria PdH.

Lucas, um presente pra você:

Vamos te enviar por email o ebook “As 25 maiores crises dos homens — e porquê superá-las”, produzido pelo PdH.

Se deseja comprar ou presentear alguém que possa se beneficiar, compre a sua edição cá.

Para saber mais sobre o teor do livro e tudo que vai encontrar lá dentro, leia esse texto.

Ao comprar o livro, você também ajuda a manter o PapodeHomem vivo.

Nosso rendimento com anúncios caiu drasticamente nos últimos dois anos, assim porquê aconteceu com toda a indústria jornalística, no Brasil e no mundo (a verba agora se concentra no Facebook e no Google). Porquê o que fazemos é para vocês e não para gerar o maior número de clicks com textos vazios, essa ajuda é importante para nossa sustentabilidade.


publicado em 03 de Setembro de 2019, 14:03





Natividade: papodehomem.com.br

Camisinha para pênis não-ereto existe! – PapodeHomem

Camisinha para pênis não-ereto existe!

4 exemplos de trabalho com as masculinidades no Brasil – PapodeHomem

4 exemplos de trabalho com as masculinidades no Brasil