o varão preto que fez supremacistas brancos desistirem de sua desculpa

Tempo de leitura: < 1 minuto

o varão preto que fez supremacistas brancos desistirem de sua desculpa

Daryl Davis é um músico preto que se tornou camarada de supremacistas brancos.

Daryl, à esquerda, e um membro da KKK em trajes rituais, à direita

Há mais de 20 anos sua arma é o diálogo. Ele senta pra conversar com pessoas que, em teoria, o odeiam somente pela cor de sua pele.

Por meio da serenidade, franqueza, paciência e uma força de vontade impressionantes, seu esforço fez com que tapume de 200  líderes da Ku Klux Clan desistissem de sua desculpa. O KKK é entendido uma vez que um movimento reacionário e extremista, que hoje conta com um tanto em torno de 8.000 membros nos EUA.

A trajetória de Daryl é narrada no premiado documentário “Cortesia Fortuito”, disponível atualmente no Netflix brasiliano.

Trailer

 

Daryl no TEDx: “Por que eu, um varão preto, vou aos protestos do KKK?” (1.6 milhões de views)

 

* * *

O trabalho de Daryl é uma lição de ativismo compassivo.

Principalmente inspirador pra nós, já que o cultivo de comunidades digitais benéficas e a Notícia Não-Violenta (CNV) estão no coração do que fazemos no PdH. Inclusive criamos um trajectória específico chamado “Uma vez que cultivar melhores conversas na web?”.

Assistam “Cortesia fortuito” no Netflix e depois nos digam por cá o que acharam pra seguirmos o papo. Vale cada minuto de seu tempo.


publicado em 28 de Agosto de 2018, 14:19





Fonte: papodehomem.com.br

O que vai ser de meus pais, se eu não estiver lá?

Dar cu é bom?