O silêncio dos homens | Um ano depois da estreia, o que aconteceu de lá pra cá?

O silêncio dos homens | Um ano depois da estreia, o que aconteceu de lá pra cá? – PapodeHomem
Tempo de leitura: 2 minutos

O silêncio dos homens | Um ano depois da estreia, o que aconteceu de lá pra cá?

Em agosto de 2019 estreou o documentário O silêncio dos homens, um dos projetos mais ambiciosos da história do PdH.

O Silêncio dos Homens estreou simultaneamente em dezenas de cidades do Brasil. Não em salas de cinema, mas em salas de lição, em salas de lar, em centros culturais, garagens e teatros locais nos quais homens e mulheres, voluntariamente, se reuniram para ver ao filme e discutir os diversos temas relacionados ao que é ser varão.

Antes de rematar, o filme deixa um invitação: que homens tomem  iniciativas neste movimento de transformação, que reflitam sozinhos, que se reúnam entre amigos, em grupos, pequenas comunidades para, juntos, caminharem por rotas mais construtivas.

O Grupo Hora.H, coordenado por Felipe Requião, foi um dos que surgiu próximo à estreia do documentário e, um ano depois, eles se reuniram com a equipe da nossa produção para conversar sobre os desdobramentos desse trajectória.

A reunião contou com a mediação de Felipe Requião, com Ismael dos Anjos, grande articulador do projeto, Luiza de Castro e Ian Leite. Se você também foi impactado por O silêncio dos homens, há um ano detrás, pegue um fone e venha submergir nesta conversa:

 

O documentário foi precedido de uma pesquisa com mais de 40 milénio pessoas (a qual se desdobrou em um livro-ferramenta) e chegou ser reproduzido mais de 1 milhão de vezes no YouTube.

 

Uma vez que muito colocou o Ismael dos Anjos, longe de ser uma obra que dá conta de tudo, o documentário reúne em sua 1 hora de duração um compilado de temas essenciais: masculinidades, pressões sociais, paternidade, violência de gênero, sexualidade, racismo entre outros assuntos que atravessam a vida dos homens todos os dias. 

“Serviu de fagulha para produzir o Hora.H e também para produzir vários outros grupos ao volta do Brasil, serviu de fagulha para que várias conversas aconteçam e o propósito era esse”

– Ismael dos Anjos.


publicado em 18 de Setembro de 2020, 18:12





Fonte: papodehomem.com.br

Reflexões que valem a pena no dia vernáculo da luta das pessoas com deficiência

Dançar sempre foi coisa de varão