“Solitude? Meu prazer é estar só. Não me identifico mais com meus amigos.”

Tempo de leitura: 3 minutos

“Solitude? Meu prazer é estar só. Não me identifico mais com meus amigos.”

Pergunta da semana:

“Olá, pessoal do PdH, especificamente do Mentoria.

Meu nome é Lucas.

Bom, o que quero relatar não é, exatamente, um problema, mas uma constatação sobre minhas mudanças de comportamento nos últimos tempos, e que, de certa forma, vem me fazendo refletir muito sobre as razões e os motivos que desencadearam tal situação.

Foto por Julian Hanslmaier

Pois muito, sempre tive muita facilidade em fazer amigos e, singeleza à segmento, sempre fui muito muito quisto por todos, convidado para eventos, talvez, pela minha facilidade de interagir, de ser um bom ouvinte, de pronunciar opiniões que acabam influenciando meus interlocutores, mesmo sem a intenção, e de ser alguém, por assim expor, de bom temperamento.

Gostaria de sublinhar, também, que, nos últimos anos, tornei-me um leitor voraz, uma pessoa extremamente curiosa, com muito interesse em vários temas, e que, conduziu-me à imergir na reclusão e, por término, na fruição da boa e velha solitude.

É aí que reside o “problema”. Nos últimos tempos, não tenho mais paciência de estar envolvido de amigos. Até paladar de ir ao encontro deles, mas não consigo mais permanecer mais de “2h” conversando, interagindo, uma vez que essas interações acabam me desgastando muito.

Não me identifico mais com o tipo de tópico, com os interesses expostos.

No último ano, comecei a ter um prazer contra-senso em transpor sozinho, viajar sozinho. De uma tal forma que, acabo recusando convites de amigos para transpor com eles, em detrimento de poder estar só, em um bar.

E, paradoxalmente, sinto-me muito só, já que, assim, tenho oportunidade de saber novas pessoas, de flertar com garotas no envolvente que me encontro(Confesso que transpor sozinho é melhor do que Tinder..hahaha), de ter a liberdade e autonomia, sem aquela obrigação de “fazer sala” aos amigos.

E percebo que, cada vez está pior, tenho menos vontade de estar com as pessoas. Cada vez me afasto mais. E isso, de certa forma, me assusta bastante, já que pode descambar para alguma coisa patológico. Mas, insisto, não é que não goste de socializar ou de transpor, pelo contrário, necessito, porém, de uma maneira dissemelhante.

Diante de tudo isso, gostaria de saber de vocês, quais suas histórias e uma vez que lidam com essa questão da solitude, da socialização, da não identificação, mais, com amigos de longa data e com a maioria das pessoas. Enfim, relatem. Sou todo ouvidos, ou, no caso, olhos.”

— Saulo

Complemento peculiar sobre solitude:

Aí vai mais um vídeo do Fred Mattos, psicólogo e colunista da morada:

Porquê responder e ajudar no Mentoria PdH (leia para evitar ter seu observação desvanecido):

  • comentem sempre em primeira pessoa, contando da sua experiência direta com o tema — e não só dizendo o que a pessoa tem que fazer, uma vez que um professor distante da situação
  • não ridicularizem, humilhem ou façam piada com o outro
  • sejam específicos ao descrever do que funcionou ou não para vocês
  • estamos cultivando relações de parceria de negócio com a perspectiva proposta cá, que vai além das amizades usuais (vale a leitura desse link)
  • comentários grosseiros, rudes, agressivos ou que fujam do foco, serão deletados

Porquê enviar minha pergunta?

Você pode mandar sua pergunta para posts@papodehomem.com.br .

O tópico do email deve ter o seguinte formato: “PERGUNTA | Mentoria PdH” — assim conseguimos filtrar e encontrar as mensagens com facilidade.

Posso fazer perguntas simples e práticas, na risco “Porquê planejo minha mudança de cidade sem quebrar? Porquê organizar melhor o tempo pra cuidar de meu fruto? Porquê mourejar com o diagnóstico de uma doença grave?” ?

Deve. Queremos tratar também de dificuldades práticas enfrentadas por nós no dia-a-dia.

Portanto, quem tiver questões uma vez que essas, envie pra nós. Assim vamos construindo um mosaico mais extenso de assuntos com a Mentoria.

Mentoria PdH é foda! Onde encontro mais perguntas e respostas?

Só entrar na coleção Mentoria PdH.

Saulo, um presente pra você:

Vamos oferecer o ebook “As 25 maiores crises dos homens — e uma vez que superá-las“, produzido pelo PdH.

Se deseja comprar ou presentear alguém que possa se beneficiar, compre a sua edição cá.

Para saber mais sobre o teor do livro e tudo que vai encontrar lá dentro, leia esse texto.

Ao comprar o livro, você também ajuda a manter o PapodeHomem vivo.

Nosso rendimento com anúncios caiu drasticamente nos últimos dois anos, assim uma vez que aconteceu com toda a indústria jornalística, no Brasil e no mundo (a verba agora se concentra no Facebook e no Google). Porquê o que fazemos é para vocês e não para gerar o maior número de clicks com textos vazios, essa ajuda é principal para nossa sustentabilidade.


publicado em 23 de Outubro de 2018, 21:35





Fonte: papodehomem.com.br

“Eu só quero ela por perto”: uma maneira de ver o paixão porquê parceria

3 pontos para avançarmos as discussões sobre masculinidade tóxica