Vamos conversar sobre o Bom Dia?

Vamos conversar sobre o Bom Dia? – PapodeHomem
Tempo de leitura: 3 minutos

Vamos conversar sobre o Bom Dia?

Olá, pessoal, tudo bom?

Luciano falando cá.

Muito, faz um tempo que a pilar do Bom Dia vem rodando com um formato já consolidado.

Vocês, que sempre nos acompanham, sabem porquê é: recebemos ensaios de pessoas interessadas em desabrochar na pilar, sejam fotógrafos ou modelos e oferecemos o espaço para que, juntos, possamos seguir em uma investigação sobre nudez e sensualidade.

Dessa forma, conseguimos um feito que vale realçar: temos uma pilar com uma variedade muito incomum para uma revista masculina. Publicamos ensaios com pessoas brancas e modelos no sentido tradicional da coisa, simples, mas também de homens e mulheres negras, indígenas, gordas, magras, altas, baixas, cis e trans.

Simples, acreditamos que ainda falta muito pavimento pra conseguirmos chegar a um estabilidade perfeito e acredito que talvez nunca consigamos. Mas seguimos com o espírito de que vale a pena experimentarmos. Preferimos errar por tentar do que permanecermos sempre na mesma zoninha de conforto sob o risco de matar o tesão pelo que fazemos.

É por isso que hoje decidi grafar e me direcionar a quem sempre está conosco na missão: vocês, a comunidade do PdH.

Porquê têm sentido a pilar?

Rafael, fotografado pelo Elias Costa

Notamos esses dias que já faz um belo tempo desde a última vez que abrimos esse via em relação ao Bom Dia. O último cláusula nessa pegada foi escrito pelo Guilherme e saiu em 2016. 

De lá pra cá, muita chuva já passou embaixo da ponte e ficamos muito curiosos pra saber o que vocês estão pensando.

Quais fotógrafos admiram e gostariam de ver por cá?

Jenifer Mota, fotografada pelo Sirlei Brizola

Estamos sempre numa eterna procura por saber projetos interessantes, que estejam desafiando as nossas noções do que é belo. Gostamos também de ver variedade em nossas publicações. Por isso, é precípuo expandirmos os olhares pra fugir das nossas próprias bolhas.

Com isso em mente, quais projetos de retrato andam acompanhando por aí? Estamos curiosos em conhecê-los.

O que gostariam de ver por cá?

Pergunto num espírito propositivo. Do que andam sentindo falta? O que gostariam de ver mais? Porquê acham que a pilar poderia permanecer melhor?

Acho o Bom Dia sensacional, mas nunca sei onde enviar ensaios

Paulinha Walz, fotografada pelo Bernie Walbenny

Sim, estamos sempre aceitando novos ensaios. 🙂

Se você viu esse cláusula, é uma fotógrafa ou fotógrafo ou padrão, pode olhar as instruções em mais detalhes cá.

Mas cá vai um resuminho:

Separe um experimento que acha que tem a pegada e me envie em contato@prazeresocultos.com.br.

Envie umas 20 a 30 fotos. Com o tempo, descobrimos que essa é a quantidade ideal. Mais, a página fica pesada e a visualização sai prejudicada, menos, as pessoas ficam com uma sensação de que está faltando. 

Envie com um relato do próprio (ou própria) padrão, de murado de 1000 caracteres, pelo menos, contando da experiência e qual a valia da nudez, porque o experimento é relevante para você. Simples, isso pode variar também. Já tivemos, por exemplo, ensaios cujos fotógrafos contavam sobre suas experiências com seus projetos.

Não esqueça de enviar também uma minibio e uma foto pra montarmos seu perfil de responsável.

É simples assim. De resto, seguimos a conversa no e-mail pra fazermos os ajustes finos.

* * *

Aguardo vocês nos comentários!


publicado em 06 de Maio de 2019, 18:01





Fonte: papodehomem.com.br

"Tudo dava sinais que ia dar certo". A gente gosta de se enganar?

“Tudo dava sinais que ia dar claro”. A gente gosta de se enganar?

Como ajudar meus pais se eu mesmo sou excluído da família e preciso de ajuda?

Uma vez que ajudar meus pais se eu mesmo sou excluído da família e preciso de ajuda?